Brasileiros citam mais “Paris” do que “Mariana” no Twitter

As tragédias em Mariana (MG) e em Paris, na França, mobilizaram as redes sociais nos últimos dias.

Tanto que uma espécie de disputa sobre “qual assunto merecia mais atenção” foi travada pelos usuários.

Enquanto uns defendiam a maior relevância dos atentados na capital francesa, outros reinvidicavam atenção para a maior catástrofe ambiental já sofrida pelo Brasil.

O Scup acompanhou essa movimentação e comparou a repercussão dos dois assuntos. De 5 a 24 de novembro, foram coletados 512 mil itens no Twitter.

Paris teve mais menções, com 345 mil postagens relacionadas aos ataques. Já os tweets incluindo Mariana chegaram a 167 mil.

O pico de menções registrou 144 mil publicações e aconteceu em 14 de novembro, um dia depois dos atentados de Paris. Do total de itens contendo “Mariana”, 62.125 mil também continham a palavra “Paris”.

Os estados brasileiros que mais se manifestaram sobre esses fatos foram São Paulo, com 22,5% dos tweets, Rio de Janeiro, responsável por 13% das postagens e Minas Gerais, com 12,4%.

Entre as hashtags mais utilizadas estão #PrayforParis, #Paris, #ParisAttacks, #Prayers4Paris e #Mariana.

“As redes sociais já estão profundamente atreladas à rotina das pessoas, que compartilham os mais diversos conteúdos nesses canais. É natural que diante de acontecimentos impactantes, que causem tanta comoção, os usuários desses canais queiram utilizar os seus espaços para se posicionar. A partir do momento que lidamos com tantas opiniões e pontos de vista, as polêmicas surgem, como a que envolve as duas tragédias e com qual delas o brasileiro se solidarizou mais. É interessante pensar, no entanto, que tudo isso também pode fomentar um debate construtivo, levando a uma reflexão da sociedade”, explica o gerente de marketing da Sprinklr Diego Blanco.