Vendas do iPhone na China puxam lucro recorde da Apple

A Apple divulgou na terça-feira (27) que registrou faturamento de 16,1 bilhões de dólares na China no último trimestre de 2014, quase 70% acima do número obtido no mesmo período do ano passado.

O sucesso na China ajudou a Apple a aumentar seu lucro total para 18,1 bilhões de dólares, com faturamento de 74,6 bilhões no primeiro trimestre fiscal de 2015. É o maior lucro da história da empresa em um único trimestre. No mesmo período de 2013, a empresa lucrou 13,1 bilhões de dólares e arrecadou 57,6 bilhões.

O resultado superou a expectativa de analistas, que previram um faturamento de 67,7 bilhões no período, de acordo com uma levantamento da Reuters.

A Apple afirmou que vendeu 74,5 milhões de iPhones durante o trimestre. Especialistas previram que a Apple venderia entre 62 milhões e 71,5 milhões de unidades do smartphone, novamente superando as expectativas.

Até pouco tempo, as vendas de produtos da Apple na China eram decepcionantes. Ainda em outubro de 2014, a Apple era apenas a sexta maior vendedora de smartphones na China.

Para a Apple, ganhar terreno em mercados como o chinês tornou-se vital para os planos da empresa. Seu crescimento se desacelerou nos últimos anos, com a saturação do mercado de smartphones nos Estados Unidos e em parte da Europa.

Nos últimos anos, a Apple tomou uma série de medidas para aumentar sua competitividade na China. No final de 2013, a empresa firmou um acordo na venda de iPhones com a China Mobile, a principal operadora do mundo em número de assinantes, com mais de 800 milhões de clientes.

A empresa também aumentou suas operações no varejo local: 25 novas lojas da marca devem ser inauguradas até 2017, juntando-se às outras 15 que já operam no país.

Em 2013, a Apple lançou o iPhone 5C, uma versão de baixo custo do smartphone, com vistas ao mercado chinês. Mas os números sugerem que os consumidores da China queriam iPhones maiores, não mais baratos: o iPhone 6 e o 6 Plus foi o smartphone mais vendido no país no trimestre passado.

A maior parte do faturamento da Apple, porém, veio das Américas. A empresa registrou arrecadação de 30,6 bilhões de dólares na região.